Atenção!

Informamos que desde o ínicio de 2015:

- não recebemos nenhum tipo de ajuda vinda de familiares;
- nenhum familiar do Ratinho (excluindo pai e mãe) empresta, oferece ou sob outras formas, dinheiro ou bens materiais para ajudas relacionados com o Ratinho ou outros;
- nunca nos encontrariamos na situação actual se não fosse a maldade de determinados membros de familia que têm vergonha de ter uma criança deficiente como familiar;
- que eu, mãe, fui sujeita aos mais diversos tipos de abusos para manter o meu filho seguro e dar-lhe a melhor qualidade de vida possível

Quem disser o contrário, está a mentir.

Sunday, May 27, 2012

Para aquecer

Quando temos um filho normal, fazemos tudo para lhe dar uma boa educação, para lhe ensinarmos boas maneiras, para lhe demonstrarmos a diferença em bem e mal, certo e errado. Investimos o nosso tempo, as nossas noites sem dormir, o nosso stress em prol da família, dos nossos rebentos, com a esperança que um dia se tornem adultos responsáveis e amados (e que saibam amar). Não nos poupamos a meios para os fazer felizes, porque sao as pequenas coisas que eles se lembraram mesmo após os pais partirem. No caso de um filho deficiente, com pouca ou nenhuma percepção do mundo que o rodeia, com uma doença terminal, investimos tudo...tudo, desde as longas horas de preocupação, o amor, as noites sem dormir. Basicamente investimos tudo aquilo que se investiria numa criança normal. Mas, no final de contas, para que? Nunca vai dizer papa ou mama, nunca vai ver-nos, nunca vai ouvir-nos, nunca vai ser autónomo e, ainda por cima, vai deixar-nos. É como se fossemos ratos em rodas que não nos levam a lado nenhum e a frustração é tão, mas tão, grande...Tudo isto para que? E nao vale a pena dizerem que "ha um plano superior a nós" porque hoje isso não me iria trazer conforto nenhum. Sinto-me como o rato na gaiola, a andar na roda idiota, a trabalhar para aquecer sem recompensa rigorosamente nenhuma.

Friday, May 25, 2012

Gritos sem fim

Todas as noites, desde a 3 anos e qualquer coisa, que nao sabemos o que é dormir. Colocamos o Ratinho na cama mas sabemos que passadas 2h vão começar os gritos infindáveis que ecoam pela noite dentro. Sabem que mais? Estou cansada, exausta desta situação. Ja me ocorreu deixar de estar la, ao lado dele, durante a noite pois, na realidade, nao adianta de nada...ele grita ao colo, grita deitado, grita quando tento dar-lhe de comer, grita porque tem a luz acesa, grita porque tem a luz apagada, grita porque a cama (parece que) tem picos, grita porque algo se passa e nao faço a mínima ideia do que seja. Quando chega a hora de ir o Ratinho ir para a cama, começo a entrar em stress. Começo a transpirar, a ficar agitada, com o coração a bater mais forte porque sei que vou ter mais uma noite em branco. Os gritos dele ecoam dentro da minha cabeça e á medida que entram nos meus ouvidos. Estou cansada Faz 3 anos e meio que este pesadelo começou...quando será que vai acabar?

Thursday, May 24, 2012

Primeiro ponto: nao gosto da "nova" organização do blogger. Da-me dores de cabeça e nao me apetece nada vir aqui escrever. Ultimamente andamos com uma crise de fé. Nao daquelas em que passamos o tempo a perguntar "porque a nós" mas sim "porque é que tem que ser tão difícil". As noites em branco aumentam cada vez mais e nao é nada...nunca é nada. Chega a luz do dia e sao só sorrisos, mas dormir nada. Entretanto ja tivemos mais uma pneumonia e uma fase em que o Ratinho deixou de ingerir alimentos. Foi duro...

LEILAO DE VERÃO

Leilão de Verão

http://sorrisos-para-ratinhos.blogspot.com/


PARTICIPEM!!!