Atenção!

Informamos que desde o ínicio de 2015:

- não recebemos nenhum tipo de ajuda vinda de familiares;
- nenhum familiar do Ratinho (excluindo pai e mãe) empresta, oferece ou sob outras formas, dinheiro ou bens materiais para ajudas relacionados com o Ratinho ou outros;
- nunca nos encontrariamos na situação actual se não fosse a maldade de determinados membros de familia que têm vergonha de ter uma criança deficiente como familiar;
- que eu, mãe, fui sujeita aos mais diversos tipos de abusos para manter o meu filho seguro e dar-lhe a melhor qualidade de vida possível

Quem disser o contrário, está a mentir.

Wednesday, January 26, 2011

Passaram 2 anos (já!!!!!)

Já passaram 2 anos, 2 anos após o pior dia das nossas vidas, o inicio do pesadelo. Era de esperar que a dor diminuísse, que se atenuasse...mas não.
Ao longo do dia de hoje tenho sentido o coração a bater rápido, tal como da primeira vez.
Como é que deixaram isto acontecer ao meu bebé? Porquê?
Sinto-me paralisada...

Felizmente o Ratinho está cada vez melhor...mas hoje teve uma pequenina recaída: acordou com muita expectoração e, outra vez, verde fluorescente.

Posso fugir?

3 comments:

  1. Poder até podias mas eu sei que não queres!!!
    Não posso sequer imaginar a dor que sentes mas sei que o amor que sentes pelo teu ratinho te faz sorrir ainda que tenhas o coração em pedacinhos!

    ReplyDelete
  2. És uma mulher de armas...uma mãe extraordinária...e como tu dizias aqui à uns tempos...O teu filho está na família perfeita para o fazer feliz...

    Um abraço cheio de carinho

    ReplyDelete
  3. Será que podemos pelo menos pensar em fugir?
    Hoje, acordei cheia de pena de mim mesma... Estou cansada, sem energia, desanimada com a vida, com tudo..
    Como é possivel sentir-me assim quando amo o meu menino acima de tudo?
    Será que posso ao menos pensar...?
    Será que posso fazer algumas reflexões irreflectidas?

    ReplyDelete

LEILAO DE VERÃO

Leilão de Verão

http://sorrisos-para-ratinhos.blogspot.com/


PARTICIPEM!!!